Sempre disposta e aberta a ouvir as demandas do Rio Grande do Sul, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, participou de videoconferência que intermediada pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Ernani Polo junto à representantes do setor da proteína animal. O principal assunto foi o avanço do status sanitário de zona livre de aftosa sem vacinação, que deve ser reconhecido pela OIE (Organização Mundial de Saúde Animal) em maio.

O encontro virtual contou com a participação dos secretários da Agricultura do RS, Covatti Filho, e do PR, Norberto Ortigara.

O presidente Polo destacou que está foi uma oportunidade de trocar ideias com representantes de entidades da proteína animal, cooperativas e empresas sobre os próximos passos e as medidas a serem tomadas. ”O objetivo é antecipar-se ao reconhecimento e, desde já, trabalhar pela ampliação dos mercados para os produtos gaúchos”, disse.

A ministra Tereza Cristina avaliou que a abertura de mercados é algo que leva tempo, mas comentou que é possível montar um cronograma com todos os passos técnicos e comerciais que estão pela frente. “Vamos verificar o que podemos antecipar para que, em maio, quando tivermos o reconhecimento, já tenhamos algumas coisas adiantadas”, disse.

O secretário de Defesa Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, José Guilherme Leal, antecipou que ocorrerá uma reunião do comitê científico da OIE em fevereiro, quando poderão ser solicitadas novas informações ao Brasil. Até lá, segundo ele, o envolvimento dos produtores e do setor precisa ser mantido e aprimorado.

Polo ressaltou ainda que o avanço do status sanitário é um reconhecimento ao trabalho árduo de muita gente ao longo de 20 anos, uma cooperação entre os setores público e privado. “É uma prova de que os dois lados podem andar e avançar juntos. Não posso deixar de agradecer à ministra Tereza Cristina pela atuação em prol do agro, um trabalho reconhecido em todo o país. Ficamos de marcar um novo encontro ampliado, no fim de fevereiro ou início de março, para dar sequência ao assunto“, destacou Ernani.