Deputado Ernani Polo, ex secretário da agricultura, comemora novo status sanitário para o Estado

 Na última quarta feira o Rio Grande do Sul recebeu ume importante notícia. A Organização Mundial de Saúde Animal concedeu parecer favorável para que o Estado torne-se Zona Livre de Aftosa sem vacinação. A informação foi repassada pela ministra da agricultura Tereza Cristina. “ É uma notícia histórica para a agropecuária gaúcha e uma das mais positivas das últimas décadas”, afirma o deputado estadual Ernani Polo.

O parlamentar enquanto secretário estadual da agricultura, pecuária e irrigação, trabalhou muito, junto com entidades e servidores estaduais e federais para que esta condição se concretizasse, inclusive levando, em 2017, ao Ministério da Agricultura, a solicitação para a realização de um inquérito sanitário no rebanho gaúcho visando verificar as condições do Estado para o avanço do status.

“É a conclusão de um trabalho sério, de vinte anos e que passou por vários governo, Yeda, Tarso, Sartori e agora Eduardo Leite. Importante reconhecer o trabalho de todos os secretários de agricultura neste período, Odacir Klein, João Carlos Machado, Luiz Fernando Mainardi e Covatti Filho, onde nós, como secretário da agricultura, também tivemos a oportunidade de contribuir. Ressalto o esforço e a dedicação dos servidores da secretaria da agricultura e da superintendência do ministério da agricultura do Estado, e o apoio das entidades ligadas ao setor agropecuário, federações e associações, onde destaco a participação fundamental do Fundesa, na figura do presidente Rogério Kerber.

Esta nova condição de Zona Livre de febre aftosa, a ser homologada por assembleia geral da OIE no mês de Maio, irá abrir novos mercados para nossa proteína animal, reconhecidamente de extrema qualidade, o que significará mais investimentos, emprego e renda. 

“Ganha o Agro, ganha quem produz, ganha o Rio Grande do Sul com essa grande conquista, fruto de um trabalho de duas décadas realizado por muitas mãos. Parabéns a todos os envolvidos e viva a agropecuária gaúcha”, conclui o deputado.