Deputado Ernani Polo intermediou audiência com IBRAVIn sobre vitivinicultura na AL-RS
Deputado Ernani Polo (PP) defende garantias para que produtos brasileiros tenham competitividade em relação à importados

Os problemas relacionados à falta de competitividade da vitivinicultura gaúcha estarão na pauta da audiência pública que acontecerá na próxima quinta-feira (09), na Assembleia Legislativa.
Os produtores do Estado prometem lotar o teatro Dante Barone como forma de protesto para sensibilizar os governos estadual e federal. Os vitivinicultores gaúchos enfrentam desleal concorrência em relação aos importados que ingressam no país a preços subsidiados e muitas vezes sem fiscalização dos órgãos nacionais. O setor acumula um passivo que, neste ano, deve chegar à casa das 300 milhões de litros de produtos vitivinicolas ( sucos, vinhos e derivados).
O presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da AL-RS, deputado Ernani Polo (PP), ao receber inúmeros pedidos de providências de produtores, acertou, em conjunto com o Instituto Brasileiro do Vinho (IBRAVIN), a realização da audiência pública para a qual, “sem dúvida, teremos uma grande mobilização de produtores na capital. Em nossas conversas, verificamos a situação de desconsolo dos vitivinicultores que acumulam prejuízos e não conseguem escoar a produtividade. Muitos estão encerrando atividades. Levaremos os pleitos para que os governos tomem iniciativas concretas para que o vinho brasileiro, que é dos melhores do mundo, tenha competitividade. A implantação de mecanismos de salvaguardas deve ser efetivada”, avalia Ernani Polo.

O diretor executivo do IBRAVIN, Carlos Raimundo Paviani, revelou que o estoque deste ano é o maior da história, chegando a 300 milhões de litros de produtos vitivinícolas: “Normalmente os estoques são em torno dos 150 milhões de litros, mas neste ano temos mais que o dobro, é preciso que os governos invistam em políticas para a redução de estoques”, sustentou o diretor.
Ainda segundo Paviani, é urgente a implantação de mecanismos de salvaguardas para produção brasileira, limitando a entrada de importados através de cotas, ampliando a fiscalização de vinhos com selo, a inclusão do setor no Simples nacional e a regulamentação da elaboração de vinhos artesanais pelos agricultores familiares.

O RS é o maior produtor de vinho do país, tendo 15 mil propriedades e 750 estabelecimentos vinícolas. No Brasil não cerca de 20 mil famílias produtoras com aproximadamente 1200 estabelecimentos vinícolas.