Foi sancionada nesta quarta-feira, 25, pelo governador do Estado, Eduardo Leite, a Lei nº 15.323, de autoria do deputado Ernani Polo, que inclui o ovo in natura, desidratado e seus derivados no cardápio da merenda escolar da rede pública estadual de ensino do Estado do Rio Grande do Sul.

De acordo com o setor de ovos do Estado, o consumo diário do alimento previne diversas doenças, como a degeneração macular, principal causa da cegueira no Brasil e no mundo. “Esta foi uma demanda que recebemos do setor, através da Asgav. O ovo é um dos alimentos mais completos que existe, por conter quase todos os nutrientes essenciais e necessários para a dieta humana, sendo um excelente aliado auxiliar na manutenção da boa memória”, explica o parlamentar, destacando que o Rio Grande do Sul é o 5º estado maior produtor de ovos do Brasil. Atualmente o RS produz, por ano, cerca de 3 bilhões de unidades de ovos e o consumo per capita no RS é de 253 ovos por habitante/ano, acima da média nacional, que está em 212 ovos por habitante no mesmo período.

Segundo o deputado Ernani Polo, entidades do setor irão se reunir com o governador do Estado no mês de outubro para tratar da nova legislação.

O setor de produção de ovos do Estado gera aproximadamente 5 mil empregos diretos e o RS exporta cerca de 3,9 mil toneladas de ovos por ano para diversos países. “Em nosso Programa Ovos RS já colaboramos com muitas instituições assistenciais levando ovos para alimentação das crianças, inclusive com informações nutricionais. Caso o projeto seja aprovado, o Parlamento estará contribuindo com a alimentação saudável dos estudantes e combate à desnutrição”, declarou o diretor executivo da Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav) e coordenador do Programa Ovos RS, Eduardo Santos.