O projeto Juntos para Recomeçar, um desdobramento das atividades iniciadas em março pelo Fórum de Combate ao Colapso Econômico e Social do RS, coordenado pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ernani Polo.

O primeiro painel, transmitido ao vivo pela TV Assembleia, debateu formas de vencer a pandemia e reduzir seus danos à economia do Rio Grande do Sul. Quem falou sobre o tema foram os economistas Aod Cunha e Gustavo Grisa, com a mediação do superintendente de Comunicação e Cultura da AL, jornalista André Machado.

Ao abrir os trabalhos, o presidente da Casa destacou que o intuito do projeto é proporcionar um diálogo com a sociedade, visando minimizar os efeitos da pandemia: “Este seminário vem ao encontro ao nosso tema da competitividade. Não há outro caminho para o Estado se desenvolver, se não for pela união de esforços trabalho conjunto”, frisou.

O economista Gustavo Grisa, mestre em Negócios Internacionais pela Thunderbird School of Global Management (Phoenix/AZ/EUA) e consultor na InvestSP- Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade, iniciou sua fala dizendo que a crise gerada pelo coronavírus se sobrepôs a outras dificuldades que já vinham sido sentidas pelos brasileiros, geradas pela crise econômica, institucional e de governança. “Para o enfrentamento deste somatório de dificuldades, somente o bom senso e a força das instituições. Todos precisamos dialogar visando a convergência e a união. O individualismo em um momento como este nos manteria ainda mais distantes de uma solução”, enfatizou.

Aod Cunha, que é pós-doutor e pesquisador visitante da Universidade de Columbia (Nova York/NY/EUA) e professor de pós-graduação em Finanças, Investimentos e Banking na PUC/RS, destacou a necessidade de fomentar ações que alavanquem todos os setores da sociedade, para que cresçam juntos, e se desenvolvam em um mesmo nível. “O setor agropecuário brasileiro, especialmente o gaúcho, tem apresentado uma performance satisfatória, antes e durante a crise, o que precisamos agora é fazer com que os demais setores também tenham este bom desempenho diante das adversidades, principalmente a educação e a competitividade”, explicou.