O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ernani Polo, recebeu nesta quarta-feira (3) pedido de apoio da AGPTEA (Associação Gaúcha de Professores Técnicos de Ensino Agrícola) e do Conselho de Diretores das Escolas Agrícolas Estaduais. A solicitação é para que o deputado interceda junto ao governo do Estado para reverter mudanças implementadas este ano nas regras dessas instituições.

No documento entregue ao deputado, o presidente do conselho, Luiz Carlos Cosmam, e o presidente da AGPTEA, Fritz Roloff, pedem que seja revertida a mudança no chamado adicional de local de exercício (antigo “difícil acesso”). Outro pedido é para que seja cancelada a extinção da insalubridade dos professores, que atuam com laboratórios vivos, com animais e plantas que possibilitam aprendizado aos estudantes.

As entidades pedem que as instituições, que ainda mantêm regime de internato, sejam reconhecidas como escolas de difícil provimento. Segundo eles, as mudanças provocaram significativa redução dos salários, o que irá desestimular os professores, uma vez que vários custeiam seus deslocamentos a instituições localizadas distantes dos centros urbanos.

Por ano, as escolas técnicas formam mil alunos, contribuindo para o desenvolvimento do agro no Rio Grande do Sul. As escolas técnicas agrícolas têm papel relevante e fundamental no interior, pois muitos dos jovens irão suceder o negócio da família, segundo Cosmam.

O parlamentar informou que irá encaminhar as demandas apresentadas diretamente ao secretário estadual da Educação, Faisal Karam, pedindo a reavaliação das medidas.