O Grande Expediente da sessão desta terça-feira (27) foi ocupado pelo deputado Ernani Polo (PP) em homenagem aos 100 da Federação Gaúcha de Futebol. “Um centenário de uma rica história e de grandes conquistas. A Federação Gaúcha de Futebol conduz, da melhor forma possível, os caminhos dos clubes gaúchos e os apoia na trajetória vencedora e centenária que marca gerações. Ela é o elo de todos os clubes, de todos os tamanhos”, iniciou o parlamentar.

Agora centenária, prosseguiu, “a instituição está diretamente ligada à sociedade do Rio Grande do Sul, apaixonada por este esporte, que tantas emoções nos proporciona. Uma paixão que reúne famílias, amigos, encanta e contagia e que move nosso imaginário a cada dia”, completou da tribuna.

História 

Na sequência, Ernani Polo traçou uma linha histórica, com alguns dos principais acontecimentos que marcaram a trajetória do futebol e da Federação Gaúcha, criada em 18 de maio de 1918. “Há cerca de um século, o Rio Grande do Sul experimentava os primeiros contatos com o futebol, na cidade de Rio Grande e em outros municípios próximos da fronteira com o Uruguai.

Neste cenário, surge o Sport Club Rio Grande, mais conhecido como ‘’vovô Rio Grande’’, criado em 1900, primeiro clube de futebol do Estado e o mais antigo do Brasil. Em sua homenagem é comemorado, desde 1975, por decreto federal, o Dia Nacional do Futebol Brasileiro na data do seu aniversário: 19 de julho”, contou.

Conforme Polo, a partir da repercussão positiva pelo futebol, outras agremiações são criadas no Rio Grande do Sul, como o 14 de Julho, de Sant’Ana do Livramento, em 1902; o Guarany Futebol Clube, de Bagé, em 1907; o Esporte Clube Pelotas, em 1908; e o São Paulo de Rio Grande, também do mesmo ano. Segundo ele, a paixão toma conta também da Capital gaúcha, onde surgiram, dois clubes: Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense e o Fussball Club Porto Alegre, que terminou as atividades na década de 40. Já em 4 de abril de 1909 foi fundado o Sport Club Internacional.

Até a década de 30, destacou Ernani Polo, o futebol gaúcho foi marcado pela força dos times da fronteira e do sul do Estado. “A situação financeira dessas regiões possibilitava a formação de boas equipes, que enfrentavam de igual para igual os times da Capital”, recordou.

O parlamentar seguiu apontando acontecimentos que marcaram esses 100 anos. “Na década de 40 surge o famoso Rolo Compressor, time de grandes craques do Sport Clube Internacional, que marcou época. Na década seguinte, temos um grande feito protagonizado pelo time do Renner, de Porto Alegre, quando conquista o campeonato gaúcho no ano de 1954. Mais adiante, já nos anos 60 e 70, o futebol gaúcho avança e Grêmio e Internacional obtém reconhecimento nacional com a participação no Campeonato Brasileiro de Futebol, em 1971”, observou.

Voos mais altos
A dupla grenal, seguiu, passa a conquistar mais e mais títulos: nacionais, continentais e mundiais. “Nossa qualidade tem levado grandes jogadores à Seleção Brasileira e, além dos atletas, temos grandes treinadores, com respeitabilidade nacional. O nosso futebol evoluiu, desenvolveu-se e conquistou espaço a ferro e fogo no cenário nacional e internacional por sua qualidade, bravura e garra, sempre com o apoio da Federação Gaúcha de Futebol, que cresce e se moderniza”, referiu o deputado do PP.

Prova disso foi a construção da sede própria da entidade, inaugurada em 2015, localizada na Capital gaúcha, “moderna e que recebe de portas abertas os clubes gaúchos e brasileiros. Com nova estrutura, a federação também busca uma integração cada vez maior entre seus filiados, os clubes e seus atores principais, que são os jogadores das mais diversas categorias”, mencionou ainda.

Dirigindo-se ao presidente da Federação, presidente Francisco Novelletto, Ernani Polo ponderou que toda instituição que se mantém por quase um século teve grandes líderes, como Emídio Perondi, que dedicou anos da sua vida à defesa do futebol gaúcho, “contribuindo para o fortalecimento do futebol nacional, ocupando também o cargo de vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol. Em seu nome, estendo as homenagens a todos os ex-presidentes da federação”, sublinhou Polo.

Destaque especial
Ernani Polo fez um destaque especial à gestão do presidente Francisco Novelletto, “homem empreendedor, inovador, agregador e sempre atento para, de alguma forma, auxiliar na manutenção das atividades dos clubes gaúchos, especialmente os do interior, e no seu aperfeiçoamento. Esta gestão mantém um foco voltado à profissionalização constante e na formação de novos valores e talentos”, registrou.

Neste contexto, fez referência à criação de inúmeras competições voltadas a todas as idades das categorias de base, fazendo com que diversos clubes investissem em seus departamentos amadores, e na descoberta de jovens atletas a serem disponibilizados ao futebol gaúcho, brasileiro e mundial. “Igualmente é preciso ressaltar o trabalho realizado pela Federação e a preocupação que a entidade tem com a função social do futebol”.

Pensando especialmente nos clubes do interior, a federação planeja e organiza seu calendário de competições para que os clubes possam se manter em atividade durante o ano inteiro, fazendo com que o futebol cumpra a sua função social: aumentando a geração de emprego e contratos com maior prazo de vigência a todos os profissionais vinculados ao futebol.

“O resultado é o merecido reconhecimento que Francisco Novelletto já conquistou em nível estadual, nacional e internacional, pelo seu trabalho sério desenvolvido por como presidente da Federação Gaúcha de Futebol. O futebol, que nos apaixona e serve de alimento às nossas alegrias, tem na Federação um porto seguro, sempre ao lado dos protagonistas deste esporte”, reforçou Polo.

Sem dúvida, disse da tribuna do Plenário 20 de Setembro, “o futebol, além de ser parte essencial da nossa cultura e tradição, é algo que movimenta o País, seja economicamente, social, cultural ou afetivamente. E o trabalho feito com paixão, união e profissionalismo tem de ser ressaltado. E é isto que realiza a Federação Gaúcha de Futebol”, finalizou.

Apartes e autoridades 

Em apartes, manifestaram-se os deputados Juvir Costella (MDB), Pedro Ruas (PSOL), Sérgio Turra (PP), Ciro Simoni (PDT) e Elton Weber (PSB).

Compuseram a mesa das autoridades, além do presidente do Parlamento, deputado Marlon Santos (PDT), o presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Novelletto; o secretário da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer do RS, Victor Hugo; o subprocurador-geral de Justiça, Marcelo Lemos Dornelles; a procuradora-adjunta para Assuntos Administrativos da Procuradoria-geral do Estado, Paula Ferreira Krieger; o deputado federal Danrlei de Deus (PSD/RS), representando a Câmara dos Deputados; o vereador e ex-parlamentar da ALRS, Cassiá Carpes (PP), representando a Câmara de Porto Alegre; dirigentes da dupla grenal e de clubes do interior do RS.

 

Crédito: Celso Luiz Bender | Letícia Rodrigues – Agência de Notícias ALRS
Foto: Marcelo Bertani