Ao abrir a quarta reunião virtual sobre indústrias de alimentos, na manhã desta terça-feira (19), o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ernani Polo, relembrou a intensa e exaustiva articulação que envolveu várias pessoas e setores para garantir o funcionamento de frigoríficos em Passo Fundo e Lajeado.

Após promover encontros que possibilitaram entendimento e um acordo entre o Ministério Público e indústrias de alimentos que tiveram casos de Covid-19, o fórum conduzido pelo presidente Ernani Polo, para debater a questão continuará se reunindo. A ideia, a partir de agora, é manter um diálogo permanente com entidades da proteína animal, secretarias e instituições, de caráter preventivo, para cuidar da saúde dos trabalhadores e se antecipar a problemas que levem à interdição de unidades.

O parlamentar elogiou o trabalho do Ministério Público, liderado pelo procurador-geral de Justiça, Fabiano Dallazen, no tratamento dos casos. “Nossa ideia é manter encontros periódicos preventivos para evitar situações semelhantes e que tenhamos que correr atrás depois”, comentou o parlamentar.

Dallazen comentou sobre a situação nova gerada pela pandemia sobre um setor importante para a economia. “Mesmo cumprindo protocolos de rotina, acabou se criando uma situação maior de dificuldade para o setor. A solução não foi fácil”, disse, acrescentando que o grupo reunido virtualmente precisa continuar se reunindo em caráter preventivo para evitar medidas drásticas.

Presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal, o ex-ministro da Agricultura Francisco Turra avaliou que a situação recente vivida pelo setor precisa ser encarada como aprendizado e ser aprimorada. Turra analisou que a reabertura das unidades foi bem administrada e que se evitou “um desastre”, como ocorreu nos Estados Unidos, segundo ele. Para o ex-ministro, o Brasil poderá ocupar espaço internacional do país da América do Norte devido a isso.

A secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, informou que a pasta está aberta a sugestões do setor e de entidades para a elaboração de novas portarias com regras para a indústria de alimento. Também destacou a importância da realização de testes rápidos para triagem, isolamento e tratamento de trabalhadores com resultado positivo. A procuradora Priscila Schvarcz, do Ministério Público do Trabalho, também ressaltou a importância da testagem de forma periódica nas unidades para evitar que pessoas com a Covid-19, muitas delas assintomáticas, continuem transmitindo o vírus.