Tarcísio de Freitas participou de evento nesta segunda feira (31), conduzido pelo presidente da AL-RS, deputado Ernani Polo

Durante o Seminário da Competitividade na Infraestrutura, conduzido pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ernani Polo, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, palestrou sobre investimentos em obras do governo federal no Rio Grande do Sul, entre outros temas.

O presidente Ernani Polo abriu os trabalhos destacando a eficácia da gestão do ministro à frente da pasta: “Nesse momento de tanta escassez de recursos, o ministro Tarcísio é um exemplo de alguém que inova e usa a criatividade para fazer mais com menos. A Competitividade é uma questão vital para manter empregos e retomar o rumo do crescimento”, disse, observando que no quesito “infraestrutura” o Estado amarga a 18ª posição no ranking de competitividade nacional.

O ministro Tarcísio de Freitas fez o anúncio de diversas obras que estão sendo realizadas no Estado e ressaltou que o governo está conduzindo um dos maiores programas de concessão do mundo. “Até o momento, foram realizados 32 leilões, e vamos contratar R$250 bilhões de investimento privado até 2022. Até aqui foram 12 aeroportos concedidos, 15 terminais portuários, a Ferrovia Norte-Sul e três rodovias”, elencou.

Tarcísio de Freitas explicou que uma das prioridades do governo é a conclusão de obras inacabadas. Segundo ele, é essa estratégia que permite uma melhor utilização do orçamento, finalizando o que já existe antes de iniciar novos empreendimentos: “Reequilibrar a matriz de transporte, visando uma maior participação dos modos hidroviário e ferroviário, além de fortalecer a interligação regional sul americana tem sido nossa meta”, lembrou.

RODOVIAS:
Entregas importantes, como a assinatura do contrato junto ao governador do Estado, Eduardo Leite, para finalizar a rodovia de integração do Sul, concessão esta que já está em andamento, foram destacadas pelo ministro: “Concluímos até o momento 92km de duplicação da BR-116, de Guaíba a Pelotas. A totalidade da obra soma 211km, e esteve entre as 5 prioridades do País no ano passado. Pretendemos chegar até o final deste ano com 120km ou 130km duplicados, conforme a velocidade da liberação de recursos, e concluir a obra até o final de 2021”, disse.

Tarcísio mencionou ainda a duplicação da ponte do Rio Camaquã, a qual deve ter sua ordem de serviço liberada em setembro. A segunda ponte do Rio Guaíba, a duplicação da ponte do Rio dos Sinos e a construção de um novo viaduto no bairro Scharlau, também são prioridades para o ministro, somam R$ 74 milhões. A previsão para o início das duas obras, a ponte e o viaduto, é em novembro.

“Será dada continuidade na duplicação do contorno de Pelotas, devendo ser concluídos três viadutos ainda em 2020, e o restante da obra no primeiro trimestre de 2021. Da mesma forma acontece com a travessia urbana de Santa Maria (BRs 158 e 287), que deve ser concluída ao final do ano que vem. A duplicação da BR 290, de Eldorado do Sul a Pantano Grande, também vai entrar na concessão”, destacou.

Estão programadas, de acordo com o ministro, também intervenções em obras já iniciadas, como o viaduto de acesso a Charqueadas e a manutenção do trecho, além de dar andamento no projeto da Ponte de Porto Xavier, fundamental para a região das Missões, que tem previsão de iniciar as obras em 2021 e concluir no ano seguinte.

Obras, processos de licitação e concessões com previsão de conclusão até o final de 2020:

• Licitação da adequação BR 285 – Santo Ângelo, Ijuí e Panambi (119km)
• Travessia de Ijuí – fase final
Conclusão até 2021:
• Pavimentação BR 153 – Erechim, Passo Fundo
• Pavimentação BR 470 – Barretos, Nova Prata
• Estudo de viabilidade para o prolongamento da BR 448 – Esteio, Portão
Concessões em estudo:
• BR 116 – Porto Alegre, Camaquã
• BR 290 – Guaíba, Pantano Grande
• BR 392/158 – Caçapava do Sul, Santa Maria, Panambi
CCR Viasul:
• Recuperação de 243km de rodovias, sendo:
• 91km na BR 101 entre Osório e Três Cachoeiras
• 55km na BR 290 entre Osório e Gravataí
• 97km na BR 386 entre Carazinho, Tabaí e Canoas

FERROVIAS:
Sobre a malha ferroviária, lamentou que estivesse abandonada e sem investimentos. “Hoje, sua estrutura é mais precária do que há 40 anos”, disse. Segundo ele, as concessões e privatizações, além da criatividade, são o caminho para a solução do problema. “Principalmente agora, o momento é de buscar parcerias, de mudar o chamado Custo Brasil, as condições precárias da malha viária e a grande dependência que temos do modal rodoviário”, defendeu.

De acordo com o ministro, o foco do governo é fazer a prorrogação da Malha Sul, que é bastante extensa. A ideia é ligar a Malha Sul ao resto do Brasil”, explicou.

HIDROVIAS E PORTOS:
A dragagem do Porto de Rio Grande, na qual foram investidos R$ 400 milhões, está em fase de conclusão, e há preparação de uma concessão para criar um terminal em Pelotas. Há também a dragagem de manutenção da hidrovia do Rio Taquari, que receberá investimento para 4 eclusas.

O ministro falou também sobre o projeto “BR do Mar”, criado no governo para facilitar o afretamento de embarcações e desenvolver a cabotagem.

AEROPORTOS:
Entregas importantes, como a conclusão das obras de modernização do aeroporto de Porto Alegre foram citadas pelo ministro que mencionou ainda a concessão de 3 aeroportos no Rio Grande do Sul: Bagé, Uruguaiana e Pelotas, que somam mais de R$ 200 milhões em investimentos visando triplicar a capacidade, permitindo ainda a integração com os outros aeroportos da Região Sul.

De acordo com Tarcísio, os investimentos serão na construção de novos terminais, novos pátios, implantação de áreas de segurança. O governo federal também está focado na aviação regional, realizando melhorias nos aeroportos de Santa Maria, Passo Fundo, Santo Ângelo, São Borja, Santa Rosa, que devem receber melhorias na pista, e no de Caxias do Sul, que receberá o maior investimento do Brasil no que tange aos aeroportos regionais, visando atender a Região da Serra.