A recepção aos convidados na sala da Presidência, um pouco antes da sessão de posse, deu início ao cerimonial de troca de comando da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, na manhã desta segunda-feira (3). O deputado Ernani Polo (Progressistas) cumprimentou as autoridades civis, militares e empresariais, com destaque para a presença de ex-governadores como Jair Soares (Progressistas), Germano Rigotto (MDB), Olívio Dutra e Tarso Genro (PT), José Ivo Sartori (MDB) e o atual governador, Eduardo Leite (PSDB), evidenciando a tradição de harmonia entre os poderes constituídos depois dos avanços promovidos no primeiro ano da legislatura com a aprovação de mudanças estruturais no serviço público e a previsão de reformas também no sistema tributário.

Em caráter reservado, no início da manhã, o deputado Ernani Polo reuniu no gabinete parlamentar a esposa, Alessandra, os filhos Maria Eduarda e Eduardo, e demais familiares, para uma breve cerimônia religiosa celebrada por pastor evangélico e padre católico. Depois, no segundo andar do Palácio Farroupilha, recepcionou os convidados com o espírito voltado para a responsabilidade do cargo que, no segundo período da gestão compartilhada da presidência da Assembleia Legislativa na 55ª Legislatura, nos próximos 12 meses dará continuidade à pauta política de reformas estruturais pretendidas pelo governo do Estado.

Espaço de decisões
“Estou motivado para conduzir os destinos da Assembleia pensando no futuro do Rio Grande do Sul”, disse o jovem parlamentar, que confia na construção do ambiente de transparência e gestão compartilhada para dar continuidade às mudanças já promovidas no primeiro ano da legislatura.

O governador Eduardo Leite, após os cumprimentos protocolares, antecipou sua certeza de que o Legislativo vai cumprir as mudanças desejadas pelo RS. “É deste lado (da rua Duque de Caxias) que são tomadas as decisões”, anunciando a passagem para um novo capítulo do Estado, de revisão da carga tributária e incentivos fiscais. “É disso que vamos tratar daqui para a frente”, assegurou. Nesse mesmo tom foi a manifestação do chefe da Casa Civil, Otomar Vivian. “Teremos com Ernani Polo a continuidade do protagonismo de decisões em favor da sociedade gaúcha”.

O ex-governador Germano Rigotto (MDB) saudou a independência entre os poderes e a relação construtiva entre as diferentes forças políticas, enquanto Tarso Genro (PT) destacou a tradição da Assembleia em promover negociações políticas democráticas.

Alternaram-se nos cumprimentos o ministro da Cidadania, Osmar Terra; o ministro do Tribunal de Contas da União, João Augusto Nardes; o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Túlio Martins; o procurador-geral de Justiça, Fabiano Dallazen; o defensor público-geral, Cristiano Vieira Heerdt; o presidente do Tribunal de Contas, Estilac Xavier; os senadores Luis Carlos Heinze (Progressistas) e Lasier Martins (PSD); assim como o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, deputado Lissauer Vieira, que é gaúcho. Também o comandante militar do Sul, general de Exército Geraldo Antonio Miotto e o arcebispo de Porto Alegre, dom Jaime Spengler, prestigiaram a cerimônia.

Ainda a presença da ex-senadora Ana Amélia Lemos (Progressistas), da vereadora Mônica Leal (Progressistas), deputados estaduais e federais, ex-parlamentares e dirigentes partidários, como o presidente do Progressistas, Celso Bernardi, o presidente da Câmara de Vereadores da Capital, Reginaldo Pujol, o vice-prefeito de Porto Alegre, Gustavo Paim, a dirigente da Federasul, Simone Leite, assim como autoridades de entidades empresariais, do agronegócio e cooperativistas.

Um pouco antes do início da cerimônia de posse no plenário 20 de Setembro, ainda na Sala da Presidência, Polo recebeu o cumprimento especial do deputado federal Jerônimo Goergen (Progressistas), seu companheiro de partido e com quem compartilhou as primeiras ações parlamentares, antes de assumir mandato eletivo.