O presidente da Assembleia Legislativa, Ernani Polo, destacou na tarde desta segunda-feira, 17, a necessidade de o Rio Grande do Sul se unir para obter as compensações da Lei Kandir. “Precisamos reunir todos os Poderes, fazer uma grande mobilização em Brasília para que haja um tratamento justo deste assunto”, discursou em evento no Chalé da Praça XV, que reuniu lideranças de mais de 10 partidos políticos, além do ex-governador Pedro Simon (MDB), que relançou o assunto em entrevista recente.

Polo comentou que está marcada para 12 de março, às 10h, em Brasília, o início de uma mobilização conjunta dos 16 Estados que têm direito a receber ressarcimentos de créditos da Lei Kandir. A reunião foi pensada com a presidente da Unale (União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais), Ivana Bastos (PSD/BA), e com o presidente do Colegiado de Presidentes das Assembleias Legislativas do país, Lissauer Vieira (PSB/GO). O objetivo é estabelecer uma campanha unificada pelo ressarcimento.

Entre 1996 e 2018, o Rio Grande do Sul perdeu, em valores atualizados, R$ 67,2 bilhões em compensações da Lei Kandir, segundo dados da Receita Estadual divulgados pelo PSB, organizador do evento no Chalé.

Participaram também do evento os deputados estaduais Tiago Simon (MDB), Luciana Genro (Psol), Sebastião Melo (MDB), Luiz Fernando Mainardi (PT) e Frederico Antunes (PP), que presidiu a Comissão Especial sobre a Lei Kandir; o deputado federal Pompeo de Mattos (PDT) e o presidente estadual do PSB, Mário Bruc.