Na manhã desta quinta-feira, 1º, reuniram-se na Assembleia Legislativa pais de alunos  do Colégio Marista Rosário para abordar o fato ocorrido no dia 8 de outubro na escola.

 

De acordo com o depoimento dos pais, o confronto entre alunos, movido por manifestações político-partidárias, desrespeita o estatuto e as normas do Colégio, que proíbe tais manifestações dentro do ambiente escolar e expõe da imagem do Rosário em ambiente externo.  Os pais cobram que a direção seja mais enfática ao aplicar as normas.

 

Após as explanações, foi deliberada a formação de uma comissão com 10 representantes de pais de alunos para reunirem-se posteriormente com a direção da escola para cobrar ações preventivas quanto às manifestações, e solicitar ao Colégio Marista Rosário um posicionamento, bem como a garantia de que os alunos não serão objeto de doutrinação ideológica por parte do corpo docente, dos funcionários e das associações ligadas ao colégio, como APAMECOR, GER e Pastoral, além de encontros do grupo que representa os pais com a mantenedora do Colégio Rosário e com o Ministério Público.

 

Também estavam presentes os pais de estudantes do Colégio, deputados Ernani Polo e Fábio Branco e os ex-alunos Tiago Simon e deputado federal Jerônimo Goergen, além da vereadora de Porto Alegre, Comandante Nádia Gerhard, a coordenadora do Movimento Brasil Livre no Rio Grande do Sul, Paula Cassol e Percival Puggina.