O deputado Ernani Polo conduziu, na tarde da segunda-feira, 8, no auditório do BRDE em Porto Alegre, reunião de trabalho da Frente Parlamentar em Apoio às Pequenas Centrais Hidrelétricas, que debateu o cenário nacional e estadual e o potencial de implementação de novas unidades.

Na presença do senador Luis Carlos Heinze, que também realiza trabalho para o desenvolvimento do setor, do secretário do meio ambiente, Artur Lemos, da presidente da Fepam, Marjorie Kaufmann, o secretário adjunto de planejamento energético Hélvio Guerra do ministério de Minas e Energia apresentou o potencial que o país possui para geração de energia.

Segundo o secretário, 536 empreendimentos aguardam outorga o que representaria a geração de 8000 megawatts em PCHs. “Somente no Rio Grande do Sul são 241 empreendimentos mapeados, estando 90 em andamento, com previsão de geração de 654 megawatts é um investimento previsto de 3 bilhões de reais”, destacou o representando do ministério.

Já o senador Heinze lembrou que uma das plataformas do governo Bolsonaro para o desenvolvimento é a geração de energia. Também falou sobre a demora para a concessão das licenças. “O licenciamento ambiental é um dos principais entraves dos empresários que atuam no setor. Estudos mostram que o processo para abrir uma usina costuma levar 9 até anos”, observou o parlamentar.

Além disso, o senador falou sobre a capacidade de geração no país. “Com um investimento de 12,4 bilhões o Brasil pode dar um salto e passar a produzir mais de 1590 megawatts, atendendo 4,6 milhões de habitantes, com a geração de 155 mil empregos diretos”, concluiu Heinze.

De acordo com o deputado Ernani Polo, vários projetos estão em implantação e outros prontos para serem implementados no Estado, o que poderá alavancar a geração de energia, além de mais ICMS, emprego e renda.

Também foi debatido com a Secretaria do Meio Ambiente e Fepam, a agilização de processos para que se possa aumentar o desenvolvimento energético do Rio Grande do Sul que precisa ser autossuficiente em energia.

Também o estiveram presentes o presidente da Compech, Paulo Sérgio da Silva e o presidente da Associação Gaúcha de Fomento às PChs, Roberto Zuch.