Proposição do deputado Ernani Polo visa estimular o Olivoturismo no Estado

Foi aprovado, durante sessão plenária desta terça-feira (13), projeto de Lei de autoria do deputado Ernani Polo, que institui a Rota das Oliveiras no Estado. O texto visa incentivar o turismo rural associado à olivicultura, com o objetivo de fomentar o desenvolvimento deste setor que cresce no Rio Grande do Sul.

“Hoje demos um passo muito importante para que possamos estimular o turismo associado aos pomares de oliveiras. Sabemos que em muitas regiões do mundo o agroturismo relacionado à olivicultura está consolidado. Outro ponto positivo desta cultura é que ela pode ser consorciada com outras atividades, se tornando mais uma alternativa na geração de emprego e renda”, explicou o deputado Ernani Polo.

São 24 os municípios gaúchos com expressão no cultivo de olivais e também na produção de azeites e conservas que irão integrar a Rota das Oliveiras: Bagé; Barra do Ribeiro; Cachoeira do Sul; Caçapava do Sul; Camaquã; Candiota; Canguçu; Dom Feliciano; Dom Pedrito; Encruzilhada do Sul; Formigueiro; Hulha Negra; Pantano Grande; Pinheiro Machado; Piratini; Restinga Seca; Rosário do Sul; Santa Margarida do Sul; Santana do Livramento; São Gabriel; São João do Polesine; São Sepé; Sentinela do Sul; Vila Nova do Sul

O Estado possui mais de 200 olivicultores, que somam 5 mil hectares de área plantada em 60 municípios. Hoje o Rio Grande do Sul tem 10 indústrias de transformação de oliveiras e 32 marcas de azeite, muitas delas com qualidade reconhecida nos mais importantes concursos do mundo. O mercado consumidor nacional é um dos maiores do planeta, porém a maior parte consumida no Brasil é ainda importada.

A região Sul, junto com a Fronteira Oeste e a Campanha, concentram maior parte da produção gaúcha: “Precisamos lembrar que tudo começou em 2003, com o então secretário estadual da agricultura, Odacir Klein, onde se iniciou um plantio experimental em Caçapava do Sul. Posteriormente, o então secretário João Carlos Machado criou um grupo de trabalho para tratar do assunto. Em seguida o secretário Luís Fernando Mainardi instituiu a Câmara Setorial da Olivicultura e em nossa gestão na secretaria da agricultura, em 2015, avançamos com a criação do Pró-Oliva, programa de incentivo ao setor e também o Ibraoliva, Instituto Brasileiro da Olivicultura, que trabalha no fomento da cadeia. Depois o secretário Odacir Klein e agora o atual secretário Covatti Filho deram continuidade ao processo que só tende a crescer”, conclui o deputado Ernani Polo.

“Um País só evolui e se desenvolve quando suas potencialidades são bem geridas pelo seu povo, com respeito a sua cultura e sua gente. A Assembleia Legislativa deu uma demonstração de grandeza com a aprovação do Projeto de Lei que cria a Rota das Oliveiras, pois confia que os olivicultores gaúchos irão continuar a produzir azeites de qualidade superior. O Ibraoliva agradece muito esta inciativa, que renova o ânimo a um setor que tem assumido especial importância no cenário econômico do nosso Estado, onde mais de R$ 250 milhões já foram aplicados nessa atividade”, destaca Paulo Marchioretto, presidente do Ibraoliva.

“Temos equipamentos de última geração e um produto diferenciado, que demonstra a força do Brasil, competindo com outros do mercado que não possuem o mesmo frescor e pureza da produção recente. Por não termos grande escala, o custo final fica mais elevado e é isto o que estamos caminhando para modificar, aumentando nossa produção. Agora com a Rota das Oliveiras poderemos fazer o cliente experimentar in loco o azeite, comprovando a diferença, e aí sim começaremos a mudar esta situação.  Será uma espécie de um Napa Valley, na Califórnia, focado em vinhos, ou como nosso Vale dos Vinhedos aqui no RS, sendo rotas de alto padrão. Agora vamos trabalhar para montar nossas estruturas para receber as pessoas, e o Ibraoliva poderá auxiliar neste sentido, com gastronomias típicas de cada região”, destaca o presidente do Conselho do Ibraoliva, Luiz Eduardo Batalha.