Para dar continuidade à campanha Valores que Ficam, iniciativa da Assembleia Legislativa, em parceria com a Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Sindicato das Empresas Contábeis (Sescon-RS), Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul (CRC RS) e Receita Federal, aconteceu reunião híbrida, na manhã desta terça-feira (2/3), com o presidente da Assembleia, deputado Gabriel Souza, os ex-presidentes, deputados Ernani Polo e Augusto Lara, e representantes de órgãos e entidades envolvidos, visando traçar as principais diretrizes para o ano de 2021.

“Esta é uma ação com muitos envolvidos, que busca incentivar os contribuintes gaúchos que têm imposto a pagar no modelo completo de declaração, a destinar até 3% para os Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente e outros 3% para os Fundos da Pessoa Idosa”, explica o parlamentar.

“Para obtermos um bom resultado é importante que os contadores se mobilizem, para que possam incentivar seus clientes a doar”, complementa Ernani Polo.

“A ideia nasceu na gestão do deputado Luís Augusto Lara, teve continuidade na gestão do deputado Ernani Polo e, no espírito da gestão compartilhada do Parlamento, estou dando sequência. Hoje tivemos uma reunião preparatória, reunindo os órgãos apoiadores e o Executivo para que possamos estruturar a campanha de 2021. Temos a pretensão de que este ano seja o de maior arrecadação para as políticas públicas”, explicou o presidente.

O superintendente adjunto da Receita Federal, Ademir Gomes de Oliveira sugeriu que em 2021 sejam realizadas visitas aos Conselhos Regionais de Contabilidade visando a mobilização de todos os profissionais, para que eles possam ser um elo entre a campanha e a população, buscando conquistar ainda mais adeptos.

O lançamento da edição 2021 da campanha está previsto para ocorrer nas próximas semanas, quando serão anunciadas as informações sobre como doar.

Anos anteriores

Foi registrado um crescimento de 19,7%, apenas durante a primeira etapa da campanha em 2020, com relação a 2019. O resultado da mobilização foi bastante positivo, especialmente em um contexto de crise provocada pela pandemia. O projeto é também um meio de ajudar as instituições a conquistarem uma melhor estrutura e ampliarem a capacidade de atendimento.

Por meio do Imposto de Renda, foram destinados R$ 17,7 milhões para os Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente e para os Fundos da Pessoa Idosa. Em 2019, foram cerca de R$ 13 milhões. Na segunda etapa, a campanha teve a parceria da Secretaria Estadual da Cidadania, Justiça e Direitos Humanos, onde pessoas físicas e jurídicas tiveram a oportunidade de doar parte do seu Imposto de Renda para organizações sociais que integram projetos do Estado a terem melhores condições de vida e oportunidades.

Também participaram a presidente do Conselho Regional de Contabilidade do RS (CRCRS), Ana Tércia Lopes Rodrigues e o vice-presidente Celso Luft, o presidente do Sindicato das Empresas Contábeis (Sescon RS), Célio Levandowski, o secretário da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Mauro Hauschild, e a superintendente de Comunicação de Cultura da Assembleia Legislativa, Isara Marques.

 

Para saber mais, acesse

http://valoresqueficam.al.rs.gov.br/#valores-que-ficam