Nascido em Ijuí e criado em Santo Augusto, Ernani Polo tem 44 anos de idade, é casado com Alessandra Polo, é pai de Maria Eduarda e Eduardo Polo. Filho do ex-prefeito de Santo Augusto, Alvorindo Polo e Iracer Polo, é irmão de Ângela, Andréia e Flávio.

Formado em Direito pela ULBRA, também possui formação como Técnico em Contabilidade, além de ser agricultor.

De 1997 a 2000 foi assessor parlamentar do deputado Jerônimo Goergen, na Assembleia Legislativa e, posteriormente, na Câmara dos Deputados.

Em 2000, concorreu a vereador em Santo Augusto. Foi o mais votado da história do município e, proporcionalmente, o mais votado do Estado (1.098 votos). No ano seguinte, foi presidente da Câmara Municipal, ano em que também assumiu temporariamente o cargo de prefeito municipal.

Em 2002 foi vice-presidente da União dos Vereadores do Rio Grande do Sul (UVERGS).

Em 2002 e em 2006 coordenou as campanhas do Deputado Jerônimo Goergen (respectivamente 37.229 votos, em 392 Municípios e 69.550 votos, em 447 Municípios) e de 2003 a 2009 foi seu chefe de gabinete.

Em 2010 concorreu a deputado estatual pelo Progressistas, fazendo 38.767 votos. No ano seguinte, foi eleito secretário geral do Partido no Estado, e, em dezembro assumiu cadeira no Parlamento gaúcho.

Durante o mandato, presidiu a Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da AL-RS e foi membro titular das Comissões de Assuntos Municipais e Legislativa Popular. Também coordenou a Frente Parlamentar em Defesa dos Consumidores em Energia Elétrica e Telefonia e a Frente Parlamentar em Defesa das Pessoas com Deficiência.

Ernani Polo também criou e presidiu a CPI da Telefonia, o que resultou em um Termo de Cooperação Técnica entre as operadoras e a Anatel, melhorando assim os serviços aos consumidores e, frente à Comissão de Agricultura, coordenou o projeto “Radiografia da Agropecuária Gaúcha”.

Em 2014 foi eleito deputado Estadual, com 57.427 votos, sendo o 10º deputado mais votado e o 3º mais votado do partido.

Neste mandato, foi presidente da Comissão de Ética da Assembleia Legislativa e integrou as Comissões de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo; de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia; de Participação Legislativa Popular e também membro da Comissão sobre dívidas dos Estados com a União e presidente da Comissão Especial sobre telefonia, da UNALE.

Em 2015, por indicação do Progressistas e pela confiança do governador José Ivo Sartori, assumiu a Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Irrigação, onde desenvolveu diversas ações em prol do desenvolvimento do setor primário gaúcho, como o Agro + RS, o “Conservar para Produzir Melhor”, o Pró-Oliva, o Pró-Pecan, o marco legal das florestas plantadas, a lei do leite, o licenciamento de silos e armazéns, simplificação das normas de irrigação, prazo do exame do mormo, entre outras.

Em 2017 foi eleito presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Estado da Agricultura – CONSEAGRI e, em 2018, reassumiu o mandato de deputado estadual na Assembleia Legislativa.

No mesmo ano foi reeleito como deputado estadual com 67.248 votos, sendo o 8º deputado mais votado e o 2º do partido.