O Exército Brasileiro pretende unificar em um só local a formação de sargentos no país. Entre as oito cidades que estão disputando a escola militar está Santa Maria, na região Central do Rio Grande do Sul. Na manhã desta sexta-feira (18), o presidente da Assembleia Legislativa, Ernani Polo, e o governador Eduardo Leite manifestaram apoio ao projeto, que prevê investimento de R$ 1 bilhão nos próximos anos, ao comandante militar do Sul, general Valério Stumpf Trindade, e ao general Joarez Alves Pereira Júnior, que coordena a iniciativa.

Atualmente, o Exército realiza a formação dos sargentos em 16 unidades diferentes espalhadas pelo país. A ideia é unificar a operação nos próximos anos, o que requer uma área próxima ao perímetro urbano de 2 km² para a construção da sede da escola e mais 50 km² para o campo de instrução. São cerca de 2,2 mil alunos e 1,5 mil funcionários envolvidos, gerando um impacto positivo na economia local porque os militares costumam morar na cidade da formação com suas famílias por longo período.

Na reunião no Palácio Piratini, o general Joarez, ex-vice-chefe do Departamento de Educação e Cultura do Exército, comentou que, caso Santa Maria seja a escolhida, haverá a necessidade de obras de infraestrutura no entorno. O governador e o prefeito de Santa Maria, Jorge Pozzobon, garantiram apoio e empenho para que o Rio Grande do Sul seja o escolhido.

“Já temos deputados mobilizados nesse tema, mas reafirmo a disposição da Assembleia Legislativa de apoiar esse projeto em Santa Maria. Nosso desejo é que o investimento se consolide no Estado”, afirmou o presidente da Assembleia, Ernani Polo.

A expectativa é chegar a três cidades finalistas da disputa até o fim do ano, para posterior decisão do Comando do Exército. Disputam com Santa Maria cidades de Pernambuco, São Paulo (2), Minas Gerais (2), Goiás e Paraná. “Além das condições de local e da infraestrutura, o apoio político é fundamental para a escola se firmar”, comentou o general Joarez.